Blogue meu, blogue teu... #6

21:00



Olá :)
Isto das rubricas anda completamente parado mas vou tentar resolver isso :) Vou tentar publicar as rubricas pelo menos uma vez por semana :) Vamos ver como corre :)

Bem, caso já não se lembrem esta rubrica consiste numa entrevista a um blogue que eu siga e goste e que acho que merece ser reconhecido também por outros.
A minha convidada de hoje é a Ariadne, do Histórias de Ariadne. E não vou adiantar muito mais... Vou-vos deixar ler e deliciarem-se :)




1. Porquê o nome de Ariadne? Tem alguma coisa a ver com Adriana ou Adriane? É sempre o que me sugere...

Há alguns anos atrás andava à procura de um pseudónimo que pudesse usar na internet e queria algo relacionado com mitologia grega. Não sei ao certo como fui ter a Ariadne, mas gostei da sua história. Ariadne está muito associada a labirintos, tendo ajudado o mítico Teseus a vencer o minotauro do labirinto, impedindo mais sacrifícios humanos. Ariadne apaixona-se por Teseus, mas este deixa-a e, mais tarde, Ariadne casa com o deus Dionísio (daí eu chamar Dionísio, ou D* ao meu namorado lá no blog heheh).



2. Criaste o blogue fez no final de Dezembro um ano... O que mudou na vida da Ariadne desde então?

Tornei-me mais confiante, sendo capaz de tomar mais riscos e de não ficar tanto na zona de conforto. Lembro-me da pessoa que era quando criei o blog, conformada, sem motivação, mas hoje já não sou assim; apercebi-me que a vida é demasiado curta para não correr certos riscos e tenho que aproveitar tudo o que me dá prazer.


3. Na altura lembro-me que disseste que não procuravas emprego porque o mercado estava saturado, no entanto, meses depois encontraste algo na tua área... Como estás nesse campo da tua vida?

Estou relativamente bem. Estou a fazer um estágio profissional pelo o IEFP e, apesar de não ser a situação ideal, sei que até ao final do estágio em Abril estou numa situação relativamente segura. Tenho sorte de gostar do sítio onde trabalho; há dias menos bons, como esta semana que passou, mas os meus colegas (exceto um) foram o máximo e têm-me ajudado desde o primeiro dia que cheguei àquela farmácia.

4. Confesso que voltei atrás no blogue para ver as tuas resoluções para o ano 2014... "Ir para Itália" era um dos teus objetivos... O que aconteceu?
Quando criei o blog estava a começar um mestrado que não me dizia grande coisa. Foi uma daquelas coisas onde entrei um pouco devido à pressão que me fizeram porque era algo certo, não havia perspetivas de trabalho (nem tinha considerado o estágio profissional) e o mestrado sempre me dava mais qualquer coisa ao currículo. O mestrado era um ano em Portugal, seis meses em Itália e seis meses na Escócia. Como forma de me motivar para o mestrado, foquei-me em ir para Itália para o conseguir fazer.


5. Uma das coisas que como leitora aprecio no teu blogue são os teus conselhos/dicas farmacêuticas. O que te leva a prestar este "serviço" a meu ver muito importante?

Os assuntos que abordo são assuntos muito comuns no dia a dia de uma farmácia. Fico espantadíssima com o quão pouco as pessoas, especialmente os jovens, sabem acerca de assuntos quase básicos e do tabu, da vergonha que têm em perguntar. Por isso decidi criar a rubrica dos "Conselhos farmacêuticos" para dar resposta a algumas das perguntas mais comuns, numa linguagem simples e clara. Adicionalmente, também se ouve nas notícias acerca de uma doença qualquer; também gosto de fazer posts a explicar essa doença, porque já se sabe que na televisão só fazem o sensionalismo e que na internet a informação é muita e é preciso saber filtrar.


6. Como pessoa qual é a tua maior qualidade?

Sou muito compreensiva. Apesar de ferver em pouca água, não julgo as pessoas sem ouvir a versão completa da história. Não julgo desconhecidos; para além de não ser eticamente correto fazê-lo, tive situações pessoais que me fizeram perceber que não sabemos tudo acerca do que a outra pessoa mostra. Não podemos fazer um julgamento acerca daquilo que a pessoa mostra porque ela pode ter problemas em casa para além da nossa compreensão e o que mostra pode ser uma capa protetora. Nem sempre é fácil fazer isto; muitas vezes as pessoas são cruéis e é difícil não julgar.


7. E como sempre que falamos em qualidades, qual é o teu maior defeito?

Fervo em pouca água. A sério! Irrito-me com uma facilidade incrível, com as mais pequenas coisas, mas pelo menos não me ponho a discutir com as pessoas; fico apenas de mau humor.


8. Se pudesses pedir um desejo para 2015, o que é que pedias?

Peço sempre os mesmos desejos: saúde e felicidade. Mas se pudesse pedir mais um, gostaria que este fosse o ano que pudesse finalmente ir a Londres.


9. Qual o blogue que não passas sem ler?

Heheh, o teu, claro! :D Mas não só; não consigo enumerar apenas um blog, porque todos os dias tenho uma listinha que faço questão de ir lá sempre espreitar: Homem sem blogue, A Gata dos Saltos Altos, A Maria Vaidosa, Ando lá por fora... volto já, Big Deal, Devil Wears Louboutin...


10. O que é que mais aprecias num blogue?
Em primeiro, o visual: gosto de um blogue com um aspeto limpo, não muito carregado. Depois, a escrita: gosto daqueles blogues com que me consigo relacionar e que estão escritos em português correto, não com abreviaturas e com "x" em vez de "s"; gosto de ler, não de descodificar códigos. Aprecio também que se note que a pessoa gosta de cuidar do blog, não que meta apenas uma imagem com uma frase e por baixo escreva algo do género "E vocês também concordam?"; há imensas pessoas que têm uma série de posts seguidos sem conteúdo.


11. E o que menos aprecias?

Indo buscar um pouco a resposta anterior, não gosto que as pessoas tenham blogues só porque sim e depois não tenham verdadeiro conteúdo, ou que se ponham a publicar mil e uma imagens de produtos na esperança de serem contactadas pelas marcas só para receberem produtos grátis. Hoje vê-se muito isso.

12. Se pudesses mudar o mundo dos blogues o que mudarias?

Incluiria uma forma de se rastrear facilmente os comentários anónimos. O meu blogue não é conhecido o suficiente para ter comentários anónimos malignos, mas há tanta gente invejosa por aí, ou pior, que gostam de insultar só porque sim e aproveitam o anonimato da internet para poderem expôr a sua maldade ao máximo.



13. O que é que os meus leitores (que vão a correr visitar-te) não podem perder no teu blogue?

Esta é difícil, porque eu não tenho um tipo de publicação fixa. Muitas vezes tenho desabafos do momento, ou lembro-me do nada de escrever sobre algum assunto meu ou que eu observo na sociedade, mas diria para não perderem a secção das Histórias Farmacêuticas, porque é de facto uma grande parte de mim, e dos Very Important Pets, para se deliciarem com a fofura das minhas gatas, hehhehe!


14. Uma mensagem para 2015.

Que este ano seja tão bom quanto o anterior, mas que passe um bocadinho mais devagar nos momentos bons. Que seja um ano de aprendizagem e de melhoramento pessoal. Que seja um ano próspero para o blog. Que seja um ano em que mudanças incríveis e boas aconteçam.


E pronto, aqui fica a entrevista da Ariadne, um dos vários blogues que leio todos os dias que venho ao blogue. Convido-vos para a visitarem e lerem um pouco dos posts dela sobre as peripécias da sua vida :) 

Um beijinho grande grande para todas :)

Também podes gostar de...

5 comentários

  1. Obrigada querida R*, gostei imenso das tuas perguntas e é um prazer fazer parte da tua rubrica.
    Beijinhos!

    ResponderEliminar
  2. Não conhecia este blogue mas vou já dar uma vista de olhos pois gostei muito da entrevista :D

    ResponderEliminar
  3. Adoro, adoro, adoro o motivo do nome!

    ResponderEliminar
  4. Gosto do blog da Ariadne e gostei muito da entrevista. :)

    ResponderEliminar